Como funciona a advertência por atraso ou falta no trabalho?

Você sabia que a lei permite que as empresas utilizem advertência por atraso para funcionários que chegam atrasados e não apresentam justificativas cabíveis? Nesse artigo vamos explicar os tipos de advertências, como devem ser usadas e em quais situações devem ser aplicadas.

Para os empresários e para os responsáveis por gestão de pessoas, é fundamental entender sobre a advertência por atraso que pode ser aplicada em cada caso, isso evita o descumprimento da lei e garante à empresa o resguardo dos seus direitos como empregadora.

Como deve ser realizado o processo de advertência por atraso?

O primeiro passo é considerar um tempo de tolerância, principalmente se for algo incomum, afinal de contas podem acontecer imprevistos que provocam o atraso. Cabe ao profissional de Recursos Humanos (ou gestor da área) realizar uma intermediação, entender o motivo do atraso, analisar a recorrência e apenas depois considerar a aplicação de uma advertência por atraso.

Com relação ao tempo de tolerância, a CLT no Art. 58 prevê que a empresa não deve penalizar atrasos de até 5 minutos, observando o limite máximo de 10 minutos diários.

advertência por atraso ou falta

Vamos explicar com detalhes os tipos de advertência por atraso:

Advertência verbal

No momento em que acontecer a primeira falta sem justificativa de um colaborador, o RH da empresa deve fazer uma comunicação em formato de advertência, explicando os motivos e as consequências desses processos, assim como deve ser informado os próximos procedimentos em caso de novos atrasos sem justificativas aceitáveis.

É importante destacar que apesar de ser uma advertência por atraso verbal, todo o processo deve ser documentado. Isso quer dizer, que cabe ao responsável pela gestão de pessoas da empresa, tornar esse processo padronizado, de forma que, esse registro possa ser encontrado como evidências em atrasos futuros.

Advertência escrita

Ocorrendo a recorrência de atrasos do colaborador, deve ser feito um documento de advertência. Isso quer dizer, que o funcionário deve assinar um papel em que constata o atraso, além disso nesse documento ainda está presente o conhecimento sobre os outros passos, que podem resultar em suspensões ou mesmo demissão por justa causa.

Para esse tipo de advertência é importante que o gestor de pessoas acompanhe de perto a recorrência de atrasos. Se o colaborador atingir um número considerado de atrasos em determinados períodos, ele pode ser desligado da empresa.

Veja este artigo, explicando os motivos que podem levar uma empresa a demitir um colaborador por justa causa.

O colaborador não pode ser impedido de trabalhar

É importante deixar claro que apesar de chegar atrasado, o colaborador não pode ser impedido de exercer suas atividades na empresa por causa do atraso, isso caracterizaria impedimento do direito de trabalhar, que é um direito assegurado pela CLT.

Vale lembrar que os benefícios do profissional, como vale-transporte e alimentação, também não podem ser retirados em caso de atrasos.

Portanto a importância da advertência por atraso é tamanha, pois é ela a responsável por resguardar legalmente os direitos do empregador, informando o colaborador sobre as consequências do atraso e servindo para provar em uma provável demissão por justa causa.

Entenda melhor as leis trabalhistas, baixe gratuitamente o nosso Guia Trabalhista Simplificado para Empresas.

banner-lei-do-ponto-eletronico

Topo