Demissão em tempos de crise: cuidados a se tomar

Não existe um plano de ação para uma empresa em crise. Nem uma fórmula mágica. Cada caso é um caso. E, muitas vezes, quando já se chegou a esse ponto, não há muito o que fazer. Por isso, por vezes, a demissão se torna necessária.

E, quando essa atitude torna-se inevitável, o gestor ou profissional de RH torna-se responsável não somente pelo processo, mas também por todos os envolvidos – demitidos ou não.

Foi pensando nisso que escrevemos esse artigo. Cuidados no processo de demissão em tempos de crise podem mudar a visão dos que ficam e também dos que se vão.

Critérios para demissão

Primeiramente, é necessário que se faça uma análise prévia do perfil dos seus colaboradores. Não adianta fazer cortes aleatórios, que não farão bem ao empregador ou aos empregados.

Existem alguns parâmetros com os quais pode-se trabalhar, como por exemplo:

  • salários altos, que impactam de forma direta no orçamento da empresa;
  • funcionários mais jovens, que não possuem famílias ou filhos que dependam deles;
  • funcionários que apresentem uma baixa produtividade;
  • dentre outros.

Veja qual critério atende melhor aos problemas da sua empresa. E lembre-se que, por mais fortes ou justos que sejam os critérios escolhidos por você, sempre haverá alguém que se sentirá injustiçado.

Portanto, tenha pulso firme em sua decisão.

Seja claro, evite especulações

Os gestores ou profissionais de RH possuem um papel muito importante em momentos como esse.

Para que a crise na empresa não se transforme em algo maior do que já é, seja transparente.

Fale sobre o momento que está sendo atravessado e como algumas atitudes se tornaram inevitáveis.

Ao ser aberto e franco com os colaboradores, muitas vezes eles mesmo buscam ajudar seus gestores no que estiver ao alcance deles, como redução de custos, por exemplo.

E, além disso, dessa forma pode-se evitar as famosas “conversas de corredor”, que podem trazer turbulências evitáveis aos ânimos já alterados.

Cuide do colaborador demitido

Em tempos de crise, a busca pela recolocação profissional pode se estender um pouco mais do que o previsto. Por isso, auxiliar da melhor maneira possível o colaborador que está sendo demitido é uma boa atitude.

Durante a conversa sobre a demissão, informe ao empregado exatamente o porquê de ele estar sendo desligado. E, além disso, dê a ele sugestões e encaminhamentos.

Mesmo em tempos de crise, algumas empresas podem estar contratando. Assim, indique vagas ao seu colaborador. Ou, se possível, encaminhe-o para alguma.

Outra maneira de auxiliá-lo nesse momento seria estender algum benefício.

Além dessas opções, você também pode investir em algum programa de baixo custo para ajudar na recolocação do profissional. Alguns exemplos seriam

  • workshop sobre entrevistas de emprego;
  • auxílio na confecção do currículo;
  • coaching de carreira;
  • algumas orientações sobre finanças pessoais; ou
  • em alguns casos específicos, um acompanhamento psicológico também pode ser interessante.

Apoie o colaborador que continuou

Quando acontecem demissões na empresa por motivo de crise, os gestores e líderes muitas vezes não cuidam dos colaboradores que continuaram.

E esse é um erro muito grave.

Afinal, a produtividade agora dependerá deles, e ao não cuidar devidamente deles, você estará incidindo negativamente, e de forma direta, sobre essa produtividade.

Manter um clima agradável e saudável é seu papel nesse momento. Não deixe que especulações ou fofocas contaminem o ambiente, que já estará tenso.

Essa é uma atitude que incide não somente sobre a produtividade, mas que também tem a ver com o respeito que você tem por seus colaboradores.

Como não entrar em crise junto com o mercado

A palavra da vez para as empresas é “atitude”.

Uma empresa precisa sempre estar alinhada com o mercado que está inserido, sem dúvidas. Mas ela precisa, também, ir além.

Acompanhar tendências tecnológicas. Manter-se sempre na vanguarda – desde a tecnologia até a gestão.

Essas são algumas opções para que uma empresa não afunde juntamente com o mercado.

Ao investir em alternativa que a diferenciam das demais empresas existentes em seu mercado – sejam, concorrentes ou não –, seu negócio já estará um passo à frente em qualquer situação.

Por isso, é necessário estar sempre alerta às mudanças que ocorrem.

Poderíamos citar muitas outras dicas, mas vamos deixar para outro post, onde o assunto poderá ser tratado com a atenção que merece!

Conclusão

Quando a demissão em tempos de crise torna-se uma realidade dentro da empresa, é preciso que haja o mais humanamente possível.

Assim, ela deve concentrar seus esforços não somente na dispensa em si, mas também nos colaboradores que estão sendo dispensado e nos que estão ficando.

Atitudes desse tipo farão com que seus funcionários enxerguem a empresa de outra forma. E, dessa forma, o ambiente de trabalho se tornará muito mais saudável.

Para te auxiliar um pouco mais sobre o assunto, baixe nosso ebook “Guia trabalhista simplificado para empresas”.

 

 

Topo