Departamento de Pessoal ou Recursos Humanos: qual a diferença?

Essa é uma dúvida recorrente que, de forma geral, vem acompanhada de outros questionamentos, como:

  • Quais são as funções de cada um desses setores?;
  • Uma empresa deve ter um Departamento de Pessoal (DP) ou um setor de Recursos Humanos (RH)?;
  • Se são diferentes, qual dessas áreas a minha empresa precisa ter?, entre outras.

Se você também não está muito certo sobre essas definições, este artigo vai ajudá-lo a compreender melhor o escopo de trabalho de cada uma dessas áreas.

Primeiramente, Departamento de Pessoal não é a mesma coisa que Recursos Humanos. A diferença está na atuação de cada área: enquanto o DP é mais burocrático, responsável por cuidar de aspectos jurídicos e contábeis relacionados à gestão de pessoas, o RH trabalha de forma estratégica, visando construir um bom ambiente interno para os empregados. Dito isso, vamos às competências específicas de cada área.

Quais são as competências do RH?

De forma geral, o setor de RH (ou Gestão de Pessoal) é responsável pelos seguintes processos:

  1. Seleção e recrutamento: são os profissionais de RH que verificam se os candidatos possuem o perfil adequado para as vagas anunciadas, por meio da aplicação de testes, entrevistas, dinâmicas de grupo, entre outras ferramentas;

  2. Manutenção do clima interno: o setor de RH é o responsável por cuidar das relações humanas entre os empregados, visando proporcionar um ambiente de cooperação mútua e respeito internamente;

  3. Capacitação da mão de obra: o RH também responde pela parte de capacitação e treinamento, proporcionando a evolução dos empregados e, assim, contribuindo para a melhoria do nível de serviço interno;

  4. Construção de um relacionamento empregado-empresa: a área de RH atua, estrategicamente, na construção de um relacionamento entre os empregados e a empresa, ao difundir os valores, a missão e os objetivos da organização para os seus colaboradores. Muitas vezes, o RH conta com o apoio de outras áreas para realizar esse trabalho, como é o caso da Comunicação Interna, por exemplo.

  5. Elaboração do plano de cargos e salários: essa é, provavelmente, uma das atividades mais estratégicas do setor de RH, visto que está relacionada à hierarquia da empresa. O plano de cargos e salários é estratégico porque é ele quem define as responsabilidades, atribuições e a remuneração de cada cargo dentro da empresa.

Agora que você já conhece as atribuições do setor de Recursos Humanos, vamos falar sobre o perfil do profissional dessa área.

Mas, qual é o perfil do profissional do RH?

Diferentemente do que acontecia no passado, um bom profissional de Recursos Humanos precisa saber lidar com pessoas, além de deter conhecimentos sobre gestão e ter visão estratégica para os negócios.

Todas essas competências são importantes, porque, como você viu acima, esse profissional precisa propor soluções para desafios mais complexos em seu dia a dia, o que exige raciocínio rápido e habilidades interpessoais.

Quais são as competências do Departamento de Pessoal?

Enquanto o setor de Recursos Humanos é o braço estratégico de uma empresa, o Departamento de Pessoal (DP) fica encarregado da parte mais burocrática relativa ao gerenciamento de pessoas.
Entre as principais atividades do DP estão as seguintes:

  1. Acompanhamento da legislação: é atribuição do Departamento de Pessoal acompanhar toda a legislação vigente que rege os direitos trabalhistas e previdenciários dos empregados, com o objetivo de evitar problemas futuros para a empresa. Além de calcular as guias para pagamento de FGTS e INSS, o DP também controla dados sobre folha de ponto, faltas, abonos, entre outras atividades realizadas;

  2. Controle da folha de pagamento: é de responsabilidade do DP fazer o registro das carteiras dos empregados, tanto no momento de contratação, quanto na demissão, além de cuidar para que as verbas rescisórias sejam todas pagas, conforme previsto em lei;

  3. Administração de benefícios: assim como se ocupa do controle dos pagamentos dos empregados, o Departamento de Pessoal também faz a gestão dos benefícios que são disponibilizados para os funcionários, como cesta básica, vale-transporte, plano de saúde, entre outras possibilidades. Inclusive, questões relacionadas ao reembolso de despesas devem ser verificadas também com o DP.

  4. Repasse das informações ao governo: para manter as informações da empresa em dia com o governo, o Departamento de Pessoal atua diretamente na atualização desses dados. Dessa forma, a responsabilidade desses registros cabe aos profissionais do DP, que precisam informar, entre outros: os dados corretos para o registro do FGTS, a Relação Anual de Informações Sociais (RAIS) e o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED).

Quem é o profissional do DP hoje em dia?

Pela descrição das atividades realizadas em um Departamento de Pessoal, ficou fácil visualizar quais são as qualidades necessárias para que um profissional seja bem-sucedido nessa área

Primeiramente, é preciso que ele possua habilidade para lidar com pessoas, afinal, o seu papel será atender aos funcionários da empresa, com o objetivo de facilitar o dia a dia deles. Também é muito importante que esse profissional detenha conhecimento técnico avançado nas áreas de Direito e Contabilidade.

Essas competências vão ajudá-lo a acompanhar as demandas internas, evitando conflitos e apresentando as melhores soluções, tanto para os empregados quanto para o empregador, sempre que necessário.

É melhor ter um Departamento de Pessoal ou um setor de Recursos Humanos na empresa?

O ideal é que a empresa mantivesse as duas áreas internamente: tanto o Departamento de Pessoal quanto o setor de Recursos Humanos. Isso porque, como você viu, essas áreas são complementares e a atuação delas em conjunto pode permitir o desenvolvimento de soluções mais adequadas às expectativas dos empregados.

Entretanto, por questões de custos, muitas empresas preferem terceirizar os serviços executados pelo DP, com empresas de Contabilidade ou mesmo escritórios jurídicos. Ou, quando decidem manter o DP internamente, as organizações tendem a contratar agências de empregos, que fazem a parte do recrutamento e seleção dos funcionários, que caberia à área de RH.

De qualquer maneira, o melhor é que a empresa consiga conduzir esses dois setores, independentemente se eles são próprios ou terceirizados, de acordo com as suas crenças, valores e a sua missão.

Isso é fundamental para manter a coesão entre as ações executadas em cada uma dessas áreas e, assim, manter a governabilidade interna, além de reforçar a credibilidade da empresa diante de seus empregados.

Se você gostou desse artigo, baixe o e-book “Guia trabalhista simplificado para RH ” e tire todas as suas dúvidas sobre o tema.

Topo