Dinâmicas de grupo como motivação no trabalho

As dinâmicas de grupo já são utilizadas por empresa há décadas. E, apesar de seu conteúdo ter variado muito em todos esses anos, sua essência permanece a mesma: testar os participantes de alguma forma ou, no nosso caso, motivar equipes.

A motivação de uma equipe é muito importante para manter saudável o ambiente de trabalho. E, com essa saúde organizacional, vem também uma melhor taxa de produtividade do seu time.

Em nosso artigo vamos tratar sobre essas dinâmicas e sobre a importância que elas têm para a construção de um melhor relacionamento entre os membros da equipe – além da motivação que elas são capazes de produzir.

Como motivar sua equipe

Nem todas as pessoas são iguais. Isso é um fato. A motivação de um ser humano é tão variável quanto ele próprio.

Mas, como não é possível montar um plano de ação personalizado para cada funcionário de uma empresa, precisamos trabalhar com o que temos em mãos.

Assim, é necessário criar um plano de trabalho para que possamos motivar a equipe de forma a seu descontentamento não impactar em sua produtividade diária.

Esse plano de trabalho deve ser preparado pensando, além da produtividade, no bem-estar do colaborador.

São muitas as ações que podem ser propostas para a motivação de uma equipe. Como exemplo, podemos citar a constante presença e acompanhamento pelo gestor, ou mesmo a valorização de ideias dos colaboradores.

Tratamos mais sobre esse assunto nesse artigo.

Por que dinâmicas em grupo motivam?

Existem muitos gestores que, quando tentam reter um talento, oferecem aumento de salário ou mais benefícios. Em alguns casos isso pode funcionar, pois a motivação, como comentamos anteriormente, é bastante variável de um indivíduo para outro.

Mas, geralmente, vemos que dinheiro não é um fator motivacional o suficiente para se reter um talento na empresa.

E, conforme o tempo passa e as relações trabalhistas se tornam mais dinâmicas e, ao mesmo tempo, mais corridas, o funcionário busca estar num ambiente em que se sinta bem e que o acolha da melhor forma possível.

Por isso, ao realizar dinâmicas com esse intuito, de descontração e, ao mesmo tempo, conhecimento e autoconhecimento, os gestores e profissionais de RH estão gerando estímulos em seus colaboradores.

Já foram realizadas algumas pesquisas e experimentos sobre o assunto. Para isso, aplicaram dois tipos de tarefas com dois tipos de recompensas. As tarefas eram simples ou complexas, e as recompensas eram dinheiro ou colaboração com a pesquisa que desejava cronometrar o tempo de resolução.

Viu-se que se destacou nas tarefas simples aqueles que tinham valores monetários como recompensa. Já nas tarefas complexas, o dinheiro não ajudou a completá-las.

Com isso, podemos concluir que quando a motivação é dinheiro, o foco se torna único, enquanto em tarefas complexas é necessário pensar um pouco mais “fora da caixa”.

Existe uma palestra no TED talk muito interessante, onde o autor Dan Pink explica em mais detalhes os resultados dessa pesquisa. Você pode assistir à palestra clicando nesse link.

Dinâmica em formato de jogos

Algumas empresas são formadas, em sua maioria, por millennials. Assim são chamados os integrantes da geração Y, ou geração da internet.

Os objetivos dessa geração, a longo prazo, se distingue bastante das gerações passadas, uma vez que seu maior foco é na qualidade de vida e a vontade de trabalhar em equipe e com o que realmente lhes dá prazer.

Seguindo essa linha de raciocínio, existem muitos tipos de dinâmicas de grupo que dão ênfase ao trabalho em equipe.

Existe uma empresa estadunidense, chamada Go Games, que cria dinâmicas de grupo que mudam a forma como é enxergado o trabalho em equipe.

Apesar de não trabalhar em terras brasileiras, você pode tirar boa ideias ao ver alguns vídeos e exemplos de trabalhos feitos por eles.

Essa empresa trabalha com uma imersão muito grande em suas dinâmicas. Então você precisaria adaptar seus jogos para a realidade da sua empresa.

A Go Games cita que, dentre seus participantes, 61% dos colaboradores afirmam que esse tipo de atividade é autêntica e significativa para suas carreiras.

Como funciona o trabalho em grupo?

Para que funcione, o trabalho em grupo deve ser muito bem estruturado. Afinal, até que a equipe se conheça e tenha certa sinergia, é necessário que sejam tomadas algumas ações.

Em um modelo criado por Bruce Wayne Tuckman em 1965 e posteriormente atualizado em 1977, o chamado Modelo de Tuckman, o trabalho em grupo é estruturado em diferentes etapas.

1. Formação

Primeiramente, há a identificação das metas, para depois acontecer a formação do grupo.

Alguns requisitos para que exista um grupo são o compartilhamento de metas, a identificação entre os integrantes e se sentir parte do grupo.

2. Confrontação

Após definidas as responsabilidades de cada membro do grupo, tem-se a fase de confrontação. O entusiasmo é alto, assim como os níveis de competência, já que ainda não há um alto grau de conhecimento entre os integrantes.

Aqui, pouco trabalho é realizado, já que ainda não há uma definição clara do papel que cada um exercerá.

3. Normatização

Aqui é a fase onde ocorrerá as definições dos processos de trabalho. Agora, tanto o entusiasmo quanto o grau de competência aumentam.

Os conflitos diminuem nessa etapa, já que os integrantes se conhecem melhor, bem como suas competências e habilidades.

E, como já existe um líder nessa etapa do processo, ele tem o papel de definir o processo e a forma como as tarefas serão realizadas.

4. Performance

Aqui é o pico do desempenho no quesito produtividade, bem como do entusiasmo e nível de competências.

O grupo já se conhece e trabalha de acordo com o ambiente que criaram, o que diminui a dependência de uma revisão das tarefas a serem executadas. As regras criadas pelo grupo já são mais flexíveis e surge o sentimento de orgulho por ser parte integrante.

5. Dissolução

Etapa caracterizada pela finalização do projeto para o qual o grupo se reuniu.

Essa finalização poderá se dar tanto pela conclusão das tarefas quanto pela desistência do grupo. Independentemente disso, há o reconhecimento do grupo pelo que foi realizado e uma posterior separação.

Conclusão

A motivação no trabalho é um fator bastante decisivo no nível de produtividade de colaboradores.

E dinâmicas de grupo são uma ferramenta muito importante nesse sentido. Por isso, seria muito interessante se toda empresa a adotasse como uma metodologia, inserindo em seu plano de negócios.

Você já participou ou conduziu alguma dinâmica de grupo? Deixe suas experiências nos comentários!

Topo