Plano de cargos e salários: como implantá-lo em sua empresa?

O plano de cargos e salários nada mais é que um programa de estruturação empresarial, em que deve constar, principalmente, a definição de todo os cargos existentes na empresa e as atribuições, autoridades e responsabilidades desses profissionais dentro da organização.

Quais são os objetivos de um plano de cargos e salários?

Além de sistematizar a hierarquia de uma empresa, o plano de cargos e salários também visa criar um horizonte de oportunidades, cujo objetivo é ser uma estratégia de motivação para os empregados.

Dessa forma, pode-se dizer que a principal finalidade de um plano de cargos e salários é criar condições para aproveitar melhor os recursos humanos de uma empresa, por meio de uma política salarial diferenciada.

Por sua vez, essa política salarial precisa estabelecer um equilíbrio entre todos os cargos internos, de acordo com a lógica de que, quanto mais responsabilidades, maior deve ser a remuneração. E, ao mesmo tempo, a política salarial também deve ser um estímulo de retenção do capital humano, apresentando compatibilidade com o mercado.

Como implantar um plano de cargos e salários na empresa?

A implantação de um plano de cargos e salários deve respeitar algumas etapas e, antes mesmo que elas tenham início, a empresa precisa fazer um diagnóstico para avaliar a sua política remuneratória vigente.

Esse diagnóstico ajudará a compreender as distorções salariais existentes e também se, de alguma maneira, os salários praticados estão de acordo com a lógica de equilíbrio interno, que visa manter uma progressão das remunerações, conforme as responsabilidades; e também com o equilíbrio externo, que compreende às variações observadas no mercado.

É importante destacar que, para que o plano de cargos e salários seja implementado com sucesso em uma empresa, é necessário que ele seja apoiado pelos líderes. Isso inclui desde a alta diretoria até os gerentes, supervisores e outros cargos estratégicos para a tomada de decisão.

Assim, com o aval da liderança e realizado o diagnóstico, já é possível avançar na implementação de um plano de cargos e salários e dar início à primeira etapa de implantação.

Primeira etapa: divulgação do projeto

A primeira etapa da implantação do plano de cargos e salários consiste em comunicar a todos na empresa que esse processo estará acontecendo internamente. Isso é importante porque os empregados participarão ativamente na implementação da política de cargos e salários e, por isso, é melhor que eles sejam os primeiros a saber, por meio dos veículos oficiais de comunicação da empresa, que podem ser: jornal mural, newsletters, boletim informativo, jornal eletrônico, entre outros.

Dependendo do público e da sua adesão aos meios de comunicação da empresa, pode ser interessante também realizar palestras ou rodas de conversa com a equipe de RH, para que os empregados tirem todas as suas dúvidas a respeito.

Segunda etapa: entrevistas com os empregados

A segunda etapa da implantação do plano de cargos e salários é uma das mais importantes. Durante essa fase, os empregados serão ouvidos para que a equipe de RH possa levantar os seguintes dados:

  1. cargos existentes hoje na empresa
  2. responsabilidades atribuídas a cada cargo
  3. remuneração de cada cargo

Esses dados podem ser obtidos por meio de questionários enviados aos empregados, ou mesmo por entrevistas, realizadas pela equipe de RH, ou por especialistas contratados para executar esse levantamento.

Outro método bastante utilizado nessa fase é a observação, através da qual o gestor de RH acompanha um dia de trabalho de um empregado e toma nota de todas as atividades que ele realizou naquele período.

Terceira etapa: definição dos cargos e salários

Nesta etapa, ocorre a análise das informações obtidas na segunda fase. A partir disso, será possível compreender, com mais riqueza de detalhes, o papel de cada um dos funcionários na organização da empresa.

Com base nas atividades e responsabilidades de cada empregado, cria-se um mapa de funções, que dará origem aos novos cargos. Dessa maneira, as pessoas que realizam atividades compatíveis devem ser inseridas em um mesmo nível hierárquico.

Essa definição precisa obedecer à estrutura da empresa, criando quantos níveis sejam necessários para acomodar todas as funções.

Quarta etapa: atribuição de responsabilidades

Na quarta etapa, o novos cargos deverão receber as suas respectivas responsabilidades. Assim, todos os funcionários passarão a conhecer a descrição e as especificações dos cargos que eles ocupam.

A descrição deve ser um relato das responsabilidades e deveres do cargo, enquanto a especificação conterá as características e habilidades que uma pessoa precisa ter para ocupar esse cargo. Para criar uma organização dos cargos na hierarquia, é importante que todos eles contenham as seguintes informações:

  1. título do cargo;
  2. departamento ao qual pertence;
  3. área;
  4. categoria (operacional, administrativo ou gestão);
  5. reporte (a quem esse profissional deve responder hierarquicamente);
  6. descrição sumária;
  7. descrição das responsabilidades principais;
  8. especificação do cargo e dos requisitos exigidos para ocupá-lo.

Quinta etapa: definição da política remuneratória

A definição da política remuneratória é uma fase muito importante para a criação de um plano de cargos e salários. Para conhecer os valores pertinentes a cada função dentro da empresa, é necessário realizar uma pesquisa de mercado, comparando a estrutura da sua empresa com outras organizações similares.

Após a pesquisa, será possível saber os valores mais adequados para:

  1. o salário-base de cada função;
  2. os adicionais pagos;
  3. as gratificações aplicáveis;
  4. a remuneração variável;
  5. os benefícios concedidos;
  6. as políticas de remuneração usadas nas outras empresas.

Com esses dados em mãos, a empresa deverá ajustar os valores encontrados à sua realidade e adequar os salários de cada empregado, conforme as suas responsabilidades e o seu desempenho.

Desenvolver e implementar uma política de cargos e salários na empresa é um processo que envolve muita pesquisa. Neste artigo, foram apresentadas as principais etapas para executar esse projeto, e o sucesso dele depende, diretamente, do planejamento e do comprometimento da empresa em executá-lo.

Se você quiser saber mais sobre outros temas ligados à gestão de Recursos Humanos, baixe gratuitamente o e-book “Guia trabalhista simplificado para RH”.

Topo