4 desvantagens do cartão de ponto manual

O controle de ponto manual é mais barato e “simples” para uma empresa. Mas as desvantagens superam essas aparentes vantagens que o cartão de ponto manual traz para o empregador.

Algumas desvantagens são o trabalho dobrado que a equipe de RH tem ao fazer o cálculo dos cartões ou a possibilidade de fraude que esse tipo de marcação possibilita.

Nesse artigo vamos citar 4 desvantagens de se adotar o cartão de ponto manual em empresas.

1. Cálculo mensal do cartão de ponto

Quando o controle de ponto manual é adotado por uma empresa, o cálculo mensal também deve ser feito manualmente. Ou seja, a equipe de RH deve reunir e organizar todas as informações mensais relativas a cada um dos colaboradores.

Essa é uma tarefa que, além de árdua, está sujeito a erros – seja de cálculo ou grafia. O que, de qualquer forma, pode incidir negativamente para a empresa em diversos casos.

O cálculo mensal nesses casos é feito de forma manual, como auxílio de planilhas e calculadoras.

Essas planilhas devem ser alimentadas gradativamente, de acordo com o que está impresso (ou anotado) nos cartões. Por isso a possibilidade de erros é grande.

2. Possibilidade de fraude

A possibilidade de fraude com o sistema de marcação de ponto manual é muito grande. Isso porque, como os cartões são facilmente transferíveis, qualquer funcionário pode marcar o ponto no lugar de outro.

Isso incorre em diversos problemas para a empresa, uma vez que o funcionário alega estar a serviço quando na verdade pode não estar.

3. Preenchimento incorreto

É impossível não ocorrer algum preenchimento incorreto do cartão de ponto manual. E, quando isso acontece, é preciso que haja certa burocracia por parte da empresa, já que isso pode acarretar em pesadas multas para o empregador.

Por isso, a educação dos colaboradores em relação ao seu preenchimento é imprescindível. Mesmo assim enganos acontecem.

Algumas medidas devem ser tomadas quando acontece um erro no preenchimento do cartão de ponto, como o devido registro no campo de observações.

Vale lembrar ainda que não é permitido haver campos em branco no cartão de ponto. Por isso, até mesmo as faltas, feriados e finais de semana devem ser anotados.

4. Invalidade perante a Justiça

O cartão de ponto manual muitas vezes não é aceito perante a Justiça do Trabalho, já sua marcação por vezes é feita em “regime britânico” (horas sempre exatas).

Além disso, existem alegações de que houve manipulação dos dados constantes nos cartões.

Contornando essas situações

Ao implantar um sistema de ponto eletrônico na empresa, esses cálculos são feitos de forma automática. Assim que é feita a marcação diária pelo funcionário, a mesma já é computada simultaneamente no sistema, que realiza todo o procedimento até o fechamento das folhas.

A adoção de um sistema de ponto baseado em biometria impossibilita a fraude. A digital é, hoje, uma das formas mais seguras de identificação, já que cada indivíduo possui uma impressão digital única.

Mais uma vantagem do ponto eletrônico é o fato de ele ser inviolável. Ou seja, o software é programado de tal forma que as informações de marcação não podem ser manipuladas.

As marcações provenientes de sistemas de ponto eletrônico são provas incontestáveis perante a Justiça em casos de ação trabalhista.

Conclusão

Como vimos, a adoção de um sistema de ponto eletrônico traz muito mais vantagens para a empresa.

Pensando na segurança da informação, é um investimento que traz benefícios tanto para o empregador quanto para o funcionário.

Para mais informações sobre gestão de pessoas e acesso nas empresas, acesse nossa newsletter.

Topo