A Pirâmide de Maslow é reconhecida internacionalmente e amplamente aplicada, especialmente no campo da psicologia. Embora seja uma teoria notória nessa área, seus princípios podem ser adaptados e aplicados em diversos contextos, incluindo o ambiente empresarial.

Essa pirâmide conceitual nos leva a uma reflexão sobre as necessidades humanas, muitas das quais têm uma conexão direta com nosso trabalho.

Sendo assim, continue a leitura deste conteúdo para descobrir como os princípios de Maslow podem ser extremamente úteis para a gestão de RH.

O que é Pirâmide de Maslow?

Pirâmide empresarial

A Pirâmide de Maslow, também conhecida como Hierarquia das Necessidades de Maslow, é uma teoria psicológica proposta pelo psicólogo Abraham Maslow em 1943 em seu artigo “A Theory of Human Motivation” (Uma Teoria da Motivação Humana). Dessa forma, essa teoria descreve uma hierarquia de necessidades humanas que, segundo Maslow, influenciam o comportamento humano e a motivação.

Essa estrutura organiza as necessidades humanas em diferentes níveis de prioridade e identifica os elementos essenciais da vida de uma pessoa que contribuem para a busca da satisfação e realização plena.

De acordo com essa teoria, um indivíduo que não teve suas necessidades básicas atendidas não terá a motivação para buscar as necessidades mais complexas. Portanto, essas necessidades são progressivamente alcançadas, uma de cada vez.

Quem foi Abraham Maslow?

Abraham Maslow (1908-1970), foi um psicólogo norte-americano de formação inicial em direito, que se tornou um influente contribuinte para o campo da psicologia.

Maslow é amplamente reconhecido como o pioneiro da Psicologia Humanista, uma importante corrente dentro da psicologia, muitas vezes considerada a terceira grande força ao lado da psicanálise e da psicologia comportamental.

Durante suas pesquisas, Maslow identificou uma série de necessidades humanas que poderiam ser classificadas em uma hierarquia, com base em sua importância relativa. Sendo assim, Maslow organizou essas necessidades em uma pirâmide, começando na base e progredindo até o topo.

Tipos de registro de ponto

Qual o objetivo da Pirâmide de Maslow?

O principal objetivo da Pirâmide de Maslow é proporcionar uma estrutura organizada e uma compreensão das necessidades humanas fundamentais.

Assim, ela encontra aplicações em diversas esferas, incluindo o contexto empresarial, onde possui o propósito de avaliar o impacto das instituições na vida das pessoas.

Dessa forma, gestores de RH e líderes, por exemplo, podem adotar a Pirâmide de Maslow como uma ferramenta para identificar soluções possíveis para atender às necessidades de seus colaboradores.

Além disso, a Pirâmide de Maslow também serve como meio de avaliar se os funcionários estão sintonizados e alinhados com a cultura organizacional, contribuindo para a formação de equipes desde o processo de seleção.

As camadas da Pirâmide de Maslow

Pirâmide de Maslow

 

Conforme mencionado anteriormente, a Pirâmide de Maslow segue uma estrutura hierárquica que engloba um conjunto de necessidades humanas, variando desde as mais básicas até as mais complexas relacionadas à autorrealização.

As necessidades básicas são aquelas fundamentais para a subsistência de todos os seres humanos e englobam, elas estão na base da pirâmide:

  • Necessidades fisiológicas: incluem funções vitais como respiração, sono, digestão, alimentação, hidratação, abrigo, entre outras;
  • Necessidades de segurança: compreendendo a preservação da integridade física, segurança no emprego, habitação adequada, proteção de recursos e bem-estar da família.

Após a satisfação das necessidades básicas, surgem as necessidades psicológicas, que atuam no âmbito mental e comportamental. Elas estão no meio da pirâmide e são:

  • Necessidades sociais: envolvem a busca por amizades, relações familiares, relacionamentos afetivos e participação em grupos sociais, como escola, trabalho, comunidades religiosas, grupos esportivos e culturais, entre outros;
  • Necessidades de autoestima: engloba aspectos como confiança, conquistas pessoais, respeito próprio e respeito mútuo com outras pessoas.

Por último, na camadas mais elevada da pirâmide, encontram-se as necessidades de autorrealização, as quais representam as aspirações mais complexas e individuais:

  • Necessidade de autorrealização: inclui valores morais, criatividade, espontaneidade, solução de problemas, ausência de preconceitos e aceitação de fatos como componentes-chave para o desenvolvimento pessoal.

Essa estrutura hierárquica de necessidades, proposta por Maslow, fornece uma visão abrangente das motivações humanas e ajuda a compreender como as diferentes dimensões da vida de uma pessoa podem influenciar seu bem-estar.

Como aplicar a Pirâmide de Maslow na sua Gestão de Pessoas?

A partir dos princípios elaborados por Maslow, espera-se que a gestão de pessoas compreenda as necessidades de seus colaboradores antes de exigir motivação ou produtividade.

É importante notar que as metas e promoções, por exemplo, se enquadram no topo da pirâmide de Maslow, ou seja, autorrealização.

Portanto, se as necessidades mais básicas e fundamentais dos colaboradores não estiverem sendo atendidas, é improvável que eles se dediquem ao máximo para avançar em suas carreiras ou contribuir plenamente para o sucesso da empresa.

Seguindo essa linha de raciocínio, podemos adaptar os conceitos da Pirâmide de Maslow ao contexto profissional. Nesse contexto, podemos listar necessidades da seguinte forma:

  • Base da pirâmide (Primeira camada): inclui descanso físico e mental, remuneração adequada e condições de trabalho confortáveis, incluindo horários que permitam atender às necessidades básicas, como alimentação e higiene;
  • Segunda camada: abrange a necessidade de um ambiente de trabalho seguro, estável e acolhedor, juntamente com remuneração compatível;
  • Terceira camada: compreende a importância de relações saudáveis com colegas e líderes, um clima organizacional positivo, respeito mútuo e amizades no ambiente de trabalho;
  • Quarta camada: envolve o reconhecimento profissional, a valorização por resultados, a oportunidade de influenciar, aumentos salariais, bônus e prêmios;
  • Topo da pirâmide (Quinta camada): inclui a participação em projetos relevantes à carreira profissional, autonomia nas decisões, trabalhar em uma área de interesse pessoal, exercer a criatividade, etc.

É claro que muitas necessidades pessoais estão além do controle da gestão da empresa, já que as pessoas enfrentam desafios e conflitos pessoais. No entanto, uma abordagem compreensiva por parte dos líderes pode fazer toda a diferença. Isso destaca a importância de uma gestão humanizada.

onboarding

Sendo assim, para identificar efetivamente os propósitos dos funcionários, é fundamental adotar estratégias de comunicação interna mais transparentes, abertas e colaborativas, como feedbacks periódicos.

Isso promove um ambiente equilibrado entre as necessidades individuais e os objetivos organizacionais dos colaboradores.

Conclusão

Os princípios de Maslow mantêm sua relevância e são amplamente aplicáveis em diversas áreas, especialmente na gestão de RH. No entanto, alguns estudiosos questionam a consistência do modelo proposto por ele.

É fato que não existem evidências conclusivas que confirmem uma hierarquia estritamente definida das necessidades humanas. Portanto, alguns críticos contemporâneos defendem uma perspectiva mais flexível, na qual as motivações prioritárias variam de pessoa para pessoa.

Apesar dessas críticas, a teoria de Maslow continua a ser uma referência importante em pesquisas acadêmicas e na formulação de estratégias em áreas como marketing, vendas e gestão de pessoas. No entanto, é essencial evitar uma interpretação excessivamente rígida de seus princípios.

A Pirâmide de Maslow é apenas um dos conceitos que podem ajudar sua empresa a melhor se relacionar com seus diversos públicos. Existem várias outras abordagens que também podem contribuir para o sucesso de seu negócio.

Por isso, é importante considerar outras estratégias para atender às variadas necessidades de seu público-alvo.

Newsletter

Leia também