A maioria dos profissionais, independentemente do modelo de trabalho, passam a maior parte do seu dia envolvidos com as atividades relacionadas ao trabalho. Com isso, passar horas seguidas executando as mesmas tarefas pode causar sérias consequências no futuro. 

Dessa forma, as empresas precisam se atentar ao bem-estar e à saúde, tanto física quanto mental, dos colaboradores. Para isso, é importante que o ambiente de trabalho ofereça boas condições para que os funcionários exerçam suas atividades. 

Mas, o que isso tem a ver com ergonomia? E qual o papel do RH para o exercício da ergonomia? Para responder essas e outras perguntas, é só continuar a leitura. 

O que é Ergonomia? 

A expressão ergonomia vem da junção de duas palavras gregas Ergon (trabalho) e nomos (normas). Em termos gerais, a ergonomia é uma aplicação interdisciplinar da ciência que surgiu no dia 12 de julho de 1949. 

Um grupo de pesquisadores e cientistas se reuniu na Inglaterra para formalizar a existência dessa área de estudo voltada às práticas e condições de trabalho voltadas aos colaboradores. 

No entanto, há relatos de que o polonês Woitej Yastembwsky publicou o artigo “Ensaios de ergonomia ou ciência do trabalho, baseada nas leis objetivas da ciência sobre a natureza”, em 1857. 

O que é Ergonomia no trabalho? 

Geralmente, como já vimos, os profissionais passam mais tempo inseridos no ambiente de trabalho do que em qualquer outro lugar. 

Dessa forma, a ergonomia é a ciência que busca compreender a relação entre o ser humano e os equipamentos e condições de trabalho. 

Em outras palavras, a ergonomia no trabalho visa conciliar o colaborador às suas atividades diárias sem prejudicar a sua saúde.  

Essas normas foram desenvolvidas para permitir que os funcionários enfrentem menos riscos no trabalho e desempenhem suas tarefas com qualidade e comodidade.

Por exemplo, uma pessoa que trabalha 8 horas por dia, em um escritório e de frente a um computador, precisa de equipamentos que minimizem os riscos de alguma lesão à sua saúde. 

Quais são os tipos de Ergonomia? 

Muitas pessoas costumam resumir a ergonomia em cuidados físicos, tais como disponibilizar uma cadeira mais confortável ou uma massagem laboral. Contudo, o campo da ergonomia abrange muito mais.

Assim, existem vários campos em que a ergonomia atua dentro do ambiente de trabalho. Cada um destes campos oferece um tipo de condição adequada para que os colaboradores consigam realizar suas funções com segurança e sem danos futuros. 

Veja abaixo os tipos de ergonomia e suas diferenças: 

  • Ergonomia física: está ligada à relação da anatomia das pessoas com o ambiente de trabalho, ou seja, como o corpo se adapta às condições que estão. Ela engloba a postura do funcionário, a redução dos movimentos repetitivos, telas de computadores apropriadas e adequação de outras ferramentas de acordo com cada necessidade.
  • Ergonomia organizacional: esse tipo de ergonomia está ligada à cultura organizacional da empresa. Em outras palavras, ela é responsável pelos valores e políticas da organização. Nesse caso, são realizadas ações para estimular o trabalho em equipe, os processos de comunicação, projetos participativos, entre outros. Um bom exemplo são os feedbacks.
  • Ergonomia cognitiva: Não apenas a parte física, mas a saúde mental também está relacionada à ergonomia. Assim, quando o estresse e o cansaço estão controlados, por exemplo, a gestão de conflitos é positivamente impactada.
  • Ergonomia de conscientização: esse tipo de ergonomia tem como foco o engajamento dos colaboradores. Assim, como o próprio nome já sugere, a ergonomia de conscientização reforça a importância e os impactos desse tema.
  • Ergonomia de correção: trata-se da adequação do ambiente de trabalho e seus detalhes. Ou seja, a empresa alinha tudo o está incomodando o profissional ou até mesmo o prejudicando. Iluminação, temperatura do ambiente, a posição dos móveis e ruídos são exemplos desse tipo de ergonomia.
  • Ergonomia participativa: nesse caso, os próprios colaboradores se organizam em ideias para criação de núcleos com o intuito de conscientizar e fiscalizar. Além disso, eles também têm a função de levar as ações à liderança.
  • Ergonomia operacional: o objetivo da ergonomia operacional é evitar que o colaborador fique sobrecarregado. Para isso, a empresa estrutura projetos focados na produtividade. 

O que diz a lei sobre Ergonomia? 

O MTE (Ministério do Trabalho e Emprego), criou um regulamento que obriga todas as empresas a aplicarem a ergonomia no ambiente. 

A decisão da elaboração dessa norma foi tomada porque a qualidade de vida, a saúde e a segurança dos colaboradores poderiam ser afetadas caso o ambiente de trabalho não cumprisse determinadas regras.

É importante ressaltar que essa lei abrange tanto os empregadores quanto os colaboradores, uma vez que ambos necessitam de um ambiente de trabalho adequado para o ofício. 

Veja abaixo mais detalhes sobre a NR17 – Norma Regulamentadora N°17. 

NR17 

A NR17 foi criada em 1978 pelo MTE e o seu intuito é minimizar a exposição dos profissionais aos riscos ergonômicos. 

A Norma Regulamentadora N°17 determina que os próprios trabalhadores realizem a AET (Análise Ergonômica no Trabalho). Posteriormente, eles enviam as informações coletadas e com base nos resultados, a empresa recebe um laudo contendo o que precisa ser ajustado ou criado no ambiente de trabalho. 

No entanto, é necessário que esse acompanhamento seja recorrente para reduzir a ocorrência de doenças laborais e outros problemas relacionados ao ambiente de trabalho.

Veja o que está descrito no próprio documento da NR17:

“17.1.1 Esta Norma Regulamentadora – NR visa estabelecer as diretrizes e os requisitos que permitam a adaptação das condições de trabalho às características psicofisiológicas dos trabalhadores, de modo a proporcionar conforto, segurança, saúde e desempenho eficiente no trabalho.”  

Além disso, vale lembrar que se a empresa não cumprir o que foi proposto na NR17, ela pode ser penalizada. 

Qual a importância da Ergonomia no Trabalho?

Como já deu para perceber até aqui, a ergonomia está diretamente ligada à saúde e bem-estar dos funcionários. Assim, ela tem uma grande importância para a empresa e para as pessoas que a compõe. 

Por isso, a implementação de ações ergonômicas e acompanhá-las é essencial para que a organização gere bons resultados e evite problemas aos seus colaboradores. 

Já falamos o quão relevante é a ergonomia no trabalho. Mas, no próximo tópico, vamos detalhar alguns dos muitos benefícios que a ergonomia traz para os trabalhadores. 

Principais benefícios da Ergonomia para o ambiente de trabalho 

Assim, uma empresa que cumpre o que é estabelecido na lei a respeito da ergonomia, tem alguns benefícios, impactando diretamente os resultados. Por isso, confira abaixo algumas vantagens de praticar a ergonomia. 

Reconhecimento profissional 

Quando a empresa oferece um ambiente favorável, confortável e seguro para os seus colaboradores, eles se sentem valorizados.

Infelizmente, para muitas empresas, a valorização do profissional não é uma das prioridades. Portanto, essa relação pouco saudável gera consequências negativas, já que os funcionários não estarão engajados. 

Dessa forma, se preocupar com a ergonomia no trabalho gera um impacto positivo nos profissionais, além de mantê-los sempre saudáveis. 

Redução do absenteísmo e da rotatividade

O absenteísmo se resume às faltas, atrasos ou saídas antecipadas dos colaboradores. Contudo, quando ele acontece com certa frequência, os resultados da empresa podem ser prejudicados. 

Mas o que o absenteísmo tem a ver com a ergonomia? Então, quando um colaborador não se sente valorizado, ele pode responder com atrasos e faltas. Além disso, certas doenças causadas por uma má postura, por exemplo, podem afastar o funcionário de suas atividades. 

Assim como acontece com as faltas e os atrasos, a rotatividade de funcionário também pode ser evitada caso a empresa invista em ações de ergonomia.  

Fortalecimento da cultura organizacional 

A satisfação dos profissionais é muito importante para o engajamento e o trabalho em equipe. Além disso, cuidar da saúde dos colaboradores proporciona o fortalecimento da cultura organizacional. 

Por isso, é essencial para o RH da empresa fortalecer a política da empresa com ações ligadas à ergonomia.

Redução de lesões e outras doenças 

Como já vimos, a ergonomia tem o objetivo de cuidar do bem-estar e da saúde física dos colaboradores. Consequentemente, ao fazer isso, várias lesões e doenças são evitadas. 

Veja abaixo a lista dessas doenças: 

  • LER (Lesão por esforço repetitivo): dependendo, ela pode levar os colaboradores à aposentadoria por invalidez;
  • Doenças psicossociais: geralmente, são doenças ligadas à ansiedade e depressão;
  • DORTs (Doenças osteomusculares relacionadas ao trabalho): a maioria dessas dores são causadas nas costas devido a má postura,
  • acidentes de trabalho: muitos acidentes podem ser evitados utilizando a ergonomia. 

Como promover a Ergonomia no home office? 

Com o avanço do modelo de trabalho híbrido e home office, a ergonomia se tornou um desafio para as empresas. Mas, mesmo à distância, é função do empregador zelar pelo bem-estar dos funcionários. 

Por isso, se a empresa optou pelo home office, ela precisa ter certeza de que seus profissionais possuem os recursos adequados para exercerem suas atividades em casa. 

Além disso, para o nosso corpo funcionar bem, ele precisa se movimentar. Então, uma ação bem interessante para quem trabalha à distância é promover exercícios laborais esporadicamente durante o expediente. 

Qual o papel do RH para promover a Ergonomia no trabalho? 

Com o advento do RH 4.0, a capacitação e a preocupação com o bem-estar das pessoas se tornaram o principal pilar do setor de RH. Por isso, os Recursos Humanos têm um papel importantíssimo na ergonomia no ambiente de trabalho. 

Lembram do exemplo no tópico anterior? Dos exercícios laborais durante o expediente? Então, assim como no home office, esse e outros tipos de ações auxiliam na redução de lesões causadas por uma atividade repetitiva. 

Conhecer cada funcionário também é primordial para promover o bem-estar no ambiente de trabalho, além de contribuir para a cultura organizacional. 

Programas de treinamentos sobre ergonomia são importantes para conscientizar os colaboradores sobre a importância desse tema. O RH pode até utilizar da gamificação para treinamentos mais dinâmicos. 

Por fim, o RH também é o responsável por uma comunicação interna acolhedora e 

Como o controle de ponto auxilia na Ergonomia? 

Com um sistema de controle de ponto online, fica muito mais prático acompanhar a jornada de trabalho dos colaboradores. Assim, o RH e o DP conseguem verificar quem está fazendo muitas horas extras, quem tem muitas faltas ou chega atrasado com frequência.

Assim, com essas informações em mãos, o RH verifica se tem algo errado e consegue promover ações para ajudar o funcionário, caso tenha acontecido alguma coisa.

O For Time, sistema de ponto online da Ortep, conta com um aplicativo que auxilia os registros à distância, pois o gestor consegue mensurar se o colaborador está cumprindo suas pausas obrigatórias. 

Então, se você precisa de um controle da jornada de trabalho mais prática e segura, clique na imagem abaixo e revolucione o seu RH.

Sistema-para-o-Controle-de-Ponto