Você já parou para refletir sobre quando e como consegue gerenciar suas emoções de maneira eficaz? Já considerou o quão importante é possuir inteligência emocional tanto para a convivência na sociedade quanto para alcançar objetivos profissionais?

Para as empresas, a inteligência emocional representa a expectativa de confiar na contratação de profissionais capazes de lidar com os desafios, adversidades e oportunidades do mercado.

Mas, como podemos aprofundar nosso entendimento sobre este assunto, compreender seu impacto e desenvolvê-lo? Continue a leitura pois abordaremos a seguir tudo sobre esse tema.

O que é inteligência emocional?

A inteligência emocional (IE) é um conceito que se refere à capacidade de uma pessoa reconhecer, compreender, gerenciar e utilizar as próprias emoções, bem como as emoções dos outros, de maneira eficaz.

Ela envolve uma série de habilidades emocionais e sociais que permitem às pessoas lidar melhor com suas próprias emoções, relacionar-se de maneira saudável com os outros e tomar decisões mais equilibradas.

Sendo assim, esse conceito pode e deve ser aplicado em todas as áreas da nossa vida, inclusive no contexto profissional.

O que é inteligência emocional

Como surgiu a inteligência emocional?

A inteligência emocional tem sido objeto de estudo por especialistas da ciência, da psicologia e do comportamento humano ao longo de muitos anos. Nos dias de hoje, sua importância tem crescido, tornando-se uma habilidade essencial em todas as nossas interações.

Desde os dias de Charles Darwin, que no século XIX destacou a importância da expressão emocional para a sobrevivência e adaptação humanas, até as contribuições da psicometria de Robert L. Thorndike (psicometrista e psicólogo educacional estadunidense 1910-1990) e ao jornalismo científico de Daniel Goleman, a inteligência emocional permanece em constante destaque.

Embora as ideias de Darwin foram pioneiras, as perspectivas de outros especialistas transformaram profundamente nossa compreensão da inteligência emocional. Vamos destacar a ideia mais utilizada atualmente.

Pilares da inteligência emocional

A teoria da inteligência emocional foi popularizada pelo psicólogo Daniel Goleman em seu livro “Inteligência Emocional”, publicado em 1995. Goleman identificou cinco componentes principais da inteligência emocional:

  • Consciência Emocional: A capacidade de reconhecer e compreender suas próprias emoções, incluindo a capacidade de identificar nuances nas emoções, como a diferença entre raiva e frustração;
  • Controle Emocional: A habilidade de gerenciar suas emoções de maneira saudável, evitando explosões emocionais, mantendo o equilíbrio e tomando decisões ponderadas mesmo em situações emocionalmente complicadas.
  • Automotivação: A capacidade de motivar-se e persistir em relação aos desafios, mesmo quando as coisas ficam difíceis. Isso envolve definir metas, manter o foco e lidar com a procrastinação.
  • Empatia: Nem sempre é possível se colocar no lugar de outras pessoas, até porque cada um tem maneiras diferentes de lidar com certas situações. Contudo, a habilidade de compreender as emoções e perspectivas dos outros, é fundamental para construir relacionamentos interpessoais saudáveis.
  • Habilidades Sociais: Isso inclui a capacidade de interagir de forma eficaz com as outras pessoas, resolver conflitos, comunicar-se de forma clara e construir relacionamentos interpessoais satisfatórios.

Qual a importância da Inteligência Emocional no trabalho?

Assine a Newsletter da Ortep e receba as novidades em primeira mão

A inteligência emocional desempenha um papel crucial no sucesso dentro do ambiente corporativo, uma vez que muitas das situações que enfrentamos no trabalho exigem habilidades além das técnicas, como empatia, compreensão interpessoal e a capacidade de construir relacionamentos.

Assim, pessoas que conseguem desenvolver a inteligência emocional geralmente têm relacionamentos mais saudáveis, são mais eficazes no trabalho e são mais capazes de lidar com o estresse e a pressão emocional, por exemplo.

Como vimos anteriormente, dentro do contexto da IE, podemos identificar várias subdivisões, especialmente aquelas relacionadas diretamente à interação com colegas e equipes de trabalho. A capacidade de trabalhar em grupos é fundamental, especialmente quando combinada com outras habilidades, como negociação e liderança.

É importante lembrar que, mesmo no ambiente de trabalho, continuamos sendo seres humanos com nossas próprias necessidades, crenças e padrões comportamentais. Esses traços se tornam particularmente evidentes em situações de conflito, onde a necessidade da inteligência emocional bem desenvolvida se torna iminente.

Quando os colaboradores têm dificuldade em compreender seus próprios sentimentos, carecem de empatia e lutam para controlar suas reações, isso pode levar a situações desagradáveis.

Nessas circunstâncias, encontrar soluções é difícil e pode resultar em ressentimentos e ofensas que prejudicam o clima organizacional.

No entanto, a importância da inteligência emocional não se limita a lidar com conflitos. Ela desempenha um papel positivo na produtividade dos colaboradores, mesmo em relações de trabalho satisfatórias, e não apenas como uma estratégia para enfrentar desafios interpessoais.

É importante notar que a IE pode ser desenvolvida e aprimorada ao longo da vida por meio de práticas como a autorreflexão, o treinamento em habilidades sociais e emocionais, além do apoio psicológico, quando necessário.

Ela é uma habilidade valiosa que pode contribuir significativamente para o bem-estar geral e o sucesso na vida profissional.

Como desenvolver a inteligência emocional no trabalho?

Baixe gratuitamente o nosso material sobre onboarding

A IE é uma soft skill essencial para o ambiente de trabalho e que pode desempenhar um papel importante no desenvolvimento do aspecto emocional de sua equipe.

Mas como é possível alcançar esse objetivo? A seguir, apresentaremos algumas dicas fundamentais para contribuir com essa tarefa.

Ofereça feedbacks transparentes

Para promover o desenvolvimento da inteligência emocional no ambiente de trabalho, é fundamental proporcionar feedbacks à sua equipe.

Isso não implica em destacar apenas os aspectos negativos dos colaboradores, mas sim em realizar uma avaliação transparente e respeitosa do desempenho, abordando tanto os pontos de melhoria quanto os pontos de destaque.

Assim, quando você demonstra a uma pessoa como o aprimoramento do controle emocional pode impactar positivamente os resultados no trabalho, torna-se mais fácil para ela desenvolver essa habilidade.

Qualifique os líderes para enfrentar desafios

Os líderes desempenham o papel de modelos para os demais membros da equipe. Portanto, é essencial que estejam capacitados para lidar com situações complexas, como conflitos entre colaboradores ou questões com clientes.

Quando os colaboradores observam que seus líderes têm habilidades sólidas no gerenciamento emocional, são mais propensos a seguir o exemplo.

Dessa forma, auxiliar os funcionários a aprimorarem suas competências emocionais representa uma valiosa estratégia de desenvolvimento para os líderes.

Cultive a empatia

Como já vimos, a empatia desempenha um papel fundamental no aprimoramento da IE e no apoio aos colaboradores nesse processo.

Para fazer isso, encoraje os colaboradores a se imaginarem na posição de seus colegas e de outras pessoas que se envolvem com o negócio.

Por exemplo, se um cliente chegar ao local muito estressado devido a um problema, a empatia pode ser uma ferramenta valiosa para controlar as emoções e fornecer um atendimento de alta qualidade. Essa abordagem contribuirá para simplificar e agilizar as relações, prevenindo conflitos e promovendo um ambiente de trabalho harmonioso.

Fale mais sobre o assunto

Outra maneira de estimular a inteligência emocional da equipe é promovendo workshops relacionados ao tema. Essa é uma estratégia eficaz para manter os profissionais envolvidos e motivados a aprimorar suas habilidades emocionais.

Esses eventos são uma ótima escolha porque, ser emocionalmente inteligente não se resume apenas a ter autocontrole e evitar explosões emocionais; também envolve não permitir que emoções negativas afetem o estado mental.

Dicas de filmes, livros e testes para promover a IE

 

Como ter inteligência emocional

Indicações de filmes sobre inteligência emocional

  • “A vida é bela” (1997) – Segundo Rubens Pimentel, sócio da Ynner Treinamentos, o filme ilustra como um pai utiliza a inteligência emocional para salvar a vida do filho em meio uma situação de extremo perigo;
  • “À procura da felicidade” (2006) – Uma obra clássica que conta uma história de perseverança, automotivação, habilidades de relacionamento interpessoal e busca por ideais;
  • “Divertidamente” (2015) – O filme mostra o comportamento de Riley, incluindo como ela lida com suas emoções e aborda os conflitos internos que todos nós enfrentamos, destacando especialmente a empatia emocional interna;

Indicações de livros sobre inteligência emocional

Testes de inteligência emocional para você fazer

Os testes de IE possibilitam a qualquer indivíduo avaliar suas habilidades existentes e identificar áreas que precisam ser desenvolvidas para melhorar sua inteligência emocional.

Isso pode proporcionar benefícios significativos em sua vida por meio de perguntas breves, ágeis, práticas e eficazes.

Esperamos que este conteúdo tenha contribuído para ampliar sua compreensão sobre a importância do desenvolvimento e aprimoramento da inteligência emocional. Até a próxima!