Embora a saída de funcionários seja uma situação corriqueira na maioria das vezes, as altas taxas de turnover sempre despertam preocupação em qualquer empresa, pois ela traz uma série de prejuízos. 

De acordo com uma pesquisa realizada pela Robert Half, com base em dados do CAGED, no Brasil, o número de demissões a pedido do funcionário praticamente dobrou em 2021, em relação ao ano anterior.

Em geral, é considerado normal ter uma taxa de turnover de até 5% ao ano, variando conforme o segmento da empresa. Sendo assim, o turnover ideal é aquele que não traz grandes prejuízos financeiros ou operacionais. 

Por esse motivo, é crucial avaliar todos os fatores que influenciam a taxa de rotatividade.

Por isso, abordaremos o conceito de turnover, como calcular essa taxa e algumas ações para diminuir o número de rotatividade dos seus funcionários e garantir uma melhor gestão dos RH.

Boa leitura! 

Turnover: o que é?

Turnover, também conhecido como taxa de rotatividade, é um indicador utilizado para medir a frequência com que os funcionários deixam uma empresa e são substituídos por novos colaboradores em um determinado período de tempo. 

Em outras palavras, o turnover representa a proporção de entradas e saídas de funcionários na organização.

Essa métrica é importante para as empresas porque uma alta taxa de turnover pode indicar problemas na gestão de RH, clima organizacional ou até mesmo questões relacionadas ao ambiente de trabalho. Por outro lado, um baixo turnover pode ser um sinal de estabilidade e satisfação dos colaboradores.

É claro que a análise do índice será dentro de cada contexto empresarial, mas é importante saber controlar a rotatividade de funcionários dentro da empresa. O que exige, dessa maneira, algumas ações diárias para com os colaboradores.

Assistir vídeo vídeo youtube

Tipos de turnover

Como já vimos anteriormente, é comum a saída de funcionários de uma empresa. Às vezes, é necessário fazer alguns desligamentos e realocações do quadro de colaboradores. Por isso, é importante avaliar a situação de cada caso, separadamente, para identificar qual o tipo de turnover. 

A seguir, vamos apresentar os tipos de turnover: 

Turnover Voluntário

Ocorre quando os funcionários deixam a empresa de forma voluntária, ou seja, por decisão própria. Isso pode acontecer por diversos motivos, como oportunidades de emprego melhores, insatisfação com o ambiente de trabalho, busca por crescimento profissional ou mudanças pessoais.

Turnover Involuntário 

Refere-se às situações em que os funcionários são desligados ou demitidos pela empresa. Isso pode ocorrer por motivos como desempenho inadequado, reestruturações organizacionais, redução de custos ou outros fatores que levem à dispensa do colaborador.

Turnover Funcional

Acontece quando a rotatividade de funcionários é considerada normal e esperada para determinados cargos ou funções. Esse é um caso de turnover considerado benéfico para a empresa.

Por exemplo, em setores com alta sazonalidade ou trabalhos temporários, é comum ter uma taxa de turnover mais elevada.

Descomplique-o-seu-RH

Turnover Disfuncional

Por outro lado, o turnover disfuncional refere-se a uma taxa de rotatividade excessivamente alta e indesejada, que pode indicar problemas na empresa, como clima organizacional ruim, falta de motivação ou insatisfação generalizada dos funcionários.

  • Turnover disfuncional evitável: existe uma causa para as saídas e que pode ser revertido com ações, caso seja identificado o motivo que os colaboradores estão deixando a empresa.

  • Turnover disfuncional inevitável: acontece quando a empresa não tem nenhum controle sobre a situação, como problemas de saúde ou mesmo a aposentadoria.

Turnover Externo

Diz respeito à substituição de colaboradores que saem da empresa por novos profissionais recrutados externamente.

Turnover Interno

Ocorre quando a empresa promove ou transfere funcionários internos para preencher vagas deixadas por outros colaboradores que saíram.

Cada tipo de turnover pode ter impactos distintos na empresa, sendo importante entender as causas e consequências para implementar estratégias eficazes de gestão de RH. 

Como calcular o turnover?

Cada empresa possui suas peculiaridades, por isso é fundamental calcular corretamente o turnover para prevenir ou reduzir esse problema. 

Para isso, é necessário considerar o número dos colaboradores admitidos, a quantidade de funcionários demitidos e o total de profissionais atualmente na empresa. Após somar todas as entradas e saídas, divida o resultado por dois e, em seguida, divida-o pelo número total de colaboradores da empresa. 

Por fim, multiplique esse valor por 100 para obter a taxa de turnover. A fórmula completa é a seguinte:

Turnover = {[(Número de admissões + demissões) / 2] / Total de funcionários durante o período} x 100

Certifique-se de definir um período de tempo, como mensal ou anual, e obtenha o número médio de funcionários durante esse período.

Custo-efetivo-de-um-funcionário

Quais são as causas do turnover?

As causas do turnover podem variar de acordo com a empresa e o setor, mas algumas razões comuns incluem:

  • Falta de oportunidades de crescimento e desenvolvimento profissional;
  • Salários e benefícios inadequados em relação ao mercado;
  • Condições de trabalho insatisfatórias, como excesso de horas extras ou ambiente hostil;
  • Desgaste físico e mental; 
  • Falta de reconhecimento e valorização dos funcionários;
  • Desalinhamento dos valores e cultura da empresa com os valores pessoais dos colaboradores;
  • Falta de comunicação efetiva entre a equipe e a gestão;
  • Carga de trabalho excessiva ou falta de equilíbrio entre trabalho e vida pessoal;
  • Inadequação entre as habilidades dos funcionários e as demandas do cargo;
  • Insatisfação com o estilo de liderança ou falta de liderança eficaz;
  • Falta de feedbacks
  • Oportunidades mais atrativas oferecidas por outras empresas; entre outros. 

É importante que as organizações identifiquem e abordem essas causas para reduzir o turnover e promover um ambiente de trabalho mais saudável e produtivo.

Quais são os custos do turnover?

Os custos relacionados ao turnover podem ser divididos em três categorias: primários, secundários e terciários.

Custos Primários

Esses custos estão diretamente associados à demissão e contratação de novos funcionários. Quando alguém é demitido ou sai da empresa, a empresa precisa arcar com despesas como férias, FGTS e 13º salário proporcionais, impactando o fluxo de caixa. 

Além disso, os processos de recrutamento e seleção também exigem gastos, como criação de anúncios de vagas, triagem de currículos e realização de entrevistas, por exemplo.

Custos Secundários

Esses custos não são tão visíveis para o gestor da empresa, mas são percebidos no momento do fechamento contábil. A alta rotatividade de funcionários afeta a produtividade e pode levar ao acúmulo de funções, resultando em custos secundários relacionados ao turnover.

Custos Terciários

Os custos terciários são ainda mais indiretos e só são percebidos a longo prazo. Eles não estão apenas relacionados a perdas financeiras, mas também à reputação da empresa. 

Quando muitos colaboradores saem insatisfeitos, eles podem compartilhar suas experiências negativas com outros profissionais da área, prejudicando a imagem da empresa como empregadora. Isso pode dificultar o recrutamento de novos talentos.

tipos-de-registro-de-ponto

Como evitar o turnover?

Um alto índice de turnover é um sinal de que a empresa enfrenta desafios na retenção de talentos, o que requer ação rápida para conter o crescimento dessa taxa. Superar essa situação adversa pode ser alcançado por meio de algumas medidas eficazes.

Veja abaixo algumas dicas de como evitar a rotatividade de funcionários: 

Processo de seleção e recrutamento assertivo

O primeiro passo para evitar a taxa de rotatividade em sua empresa é contratar profissionais competentes e promissores. Contudo, quando um funcionário muito eficiente se desliga da empresa, não tenha pressa demais em substituí-lo.

Desse modo, dedique bastante tempo e pesquisa para buscar alguém que se encaixe no perfil da vaga. E que, de certa forma, possua os atributos positivos que você visualiza para o cargo.

Opte pelas tecnologias corretas no processo de seleção. E lembre-se: colaboradores competentes trazem a sinergia necessária para o bom funcionamento da empresa. O que, por consequência, pode evitar o desligamento voluntário dos funcionários em geral.

Estimule a comunicação

A comunicação é uma das qualidades mais importantes dentro de uma empresa, sobretudo aquelas que contam com um grande número de profissionais. É impossível manter o bom funcionamento e manutenção de um negócio sem que todas as partes envolvidas estejam em sintonia. 

Logo, se a sua equipe não possui diálogo em relação às decisões tomadas, a rotatividade de funcionários também pode ser afetada e aumentar.

Por exemplo:  um funcionário que sempre tem boas ideias, mas não se sente à vontade para apresentá-las e desenvolvê-las. Ou, ainda, se sente intimidado em questionar decisões que julga erradas, deixando de fazê-lo. 

Mais cedo ou mais tarde, enxergando-se em um ambiente em que não pode ascender profissionalmente, a motivação se perderá. E, assim, mais um funcionário competente dirá adeus à empresa.

Por esse motivo, estimule o diálogo entre os colaboradores e deixe que sejam apontados os pontos positivos e negativos. Afinal, sem a opinião dos funcionários, os projetos não fluem, podendo também prejudicar a qualidade final do trabalho dentro da empresa.

Incentive a criatividade e inovação

Assim como dito anteriormente, é de suma importância proporcionar e incentivar espaços de criatividade para que os funcionários possam se expressar. É a partir de novas opiniões e pontos de vista que surge o famoso brainstorming, podendo esse processo ser muito benéfico para os projetos dentro da empresa.

É preciso trazer modernidade e audácia para novos planejamentos e serviços; assim, os funcionários são o meio pelo qual isso pode acontecer. Lembre-se de que todas as sugestões e ideias são bem-vindas!

Procure ouvir mais e saiba reconhecer o esforço do colaborador. Ofereça treinamentos gratuitos e estimule a competição saudável acerca de um objetivo comum. Com isso, será muito mais fácil evitar a rotatividade de funcionários.

Proporcione um ambiente de trabalho seguro

Trazer segurança física e moral para os seus colaboradores é essencial se você deseja evitar a rotatividade de funcionários em sua empresa. Situações em que o funcionário se sente constrangido ou violado são fatores que provocam a saída da instituição. Portanto, é preciso evitar ao máximo.

Imagine que você trabalha em um local onde não se sente totalmente seguro e resguardado; procurar outro lugar parece ser uma opção plausível, não? Assim, esteja sempre atento a situações que não deveriam estar acontecendo, e faça o que estiver ao seu alcance para garantir a qualidade do ambiente de trabalho.

Isso se aplica também à estrutura física da empresa. Uma vez que é desagradável trabalhar em situações precárias e com infraestrutura mal planejada, seu colaborador pode considerar o desligamento como a melhor opção. Colocando assim, em xeque, a taxa de turnover.

Reconheça resultados positivos

Saber reconhecer resultados positivos e proporcionar recompensas que transpareçam isso é essencial. E, ademais, isso traz uma enorme carga de humanidade ao dia a dia corrido dentro da empresa. 

Afinal, muitas vezes os colaboradores são cobrados pelos erros, mas quando um líder reconhece a participação deles nos resultados da empresa, eles se sentem motivados e felizes, além de acarretar em uma evolução contínua do time.

Gostou do conteúdo? Assine a nossa newsletter e continue recebendo novidades sobre o que acontece no mundo do RH e DP. 

Até a próxima!

Newsletter